quarta-feira, 29 de março de 2006


                                                                                                     "Sinfonia"
                                                                              Óleo s/Tela, 81 X 60, 2006
                                      "Mensageiras"
                                      Óleo s/Tela,  81 X 65, 2006
                            "Sem título"
                            Óleo sobre Tela , 38 X 55 , 2005/6
                    "Sem título"
                    Óleo sobre Tela , 38 X 55 , 2005/6

                        "Sem título"
                        Óleo sobre Tela , 38 X 55 , 2005/6
video

terça-feira, 28 de março de 2006



















"Em Sociedade"
Técnica Mista s/Tela. 60X60 ,2006

















"Separados"
Técnica Mista s/Tela. 60X60 - 2006

segunda-feira, 27 de março de 2006




















                  

Óleo s/ tela, 40 X 40, 2006
Neste trabalho tive uma "preocupação especial" em dar uma ambiência/sensação de Calor.
O Calor daqueles  que nos protegem. Este quadro convida, portanto, a um acolhimento espacial e sensorial.





















"Apelo"
Óleo s/Tela, 40 X 40, 2006























"Memórias II"
 Óleo s/Tela, 40 X 40, 2006

                                "Consolidação"
                                Técnica Mista sobre Tela , 40 X 40 , 2006
"O Tempo não para"
Óleo sobre Tela, 40X40, 2006

domingo, 26 de março de 2006

video
video
video video
Em 2006, convidaram-me para expôr na Biblioteca Municipal de Belém.

Recordo especialmente essa Exposição pois fiz a minha primeira Intervenção. Decidi criar e colocar um

suporte no chão, e inseri nele uma espécie de tijolos criados por mim manualmente um a a um,

pacientemente, donde escrevi muitas palavras que nos rodeiam na mente e no exterior.

Palavras "ditas", "não ditas" ou, então, sómente vividas. A preocupação premente pelo irradiar

colapsado de guerras intermináveis, de amores imbecis, de ausências sentidas, de sentimentos austeros e

ricos viriam de mãos dadas a um placar que para o efeito também coloquei na parede escrito

intencionalmente letra a letra por mim. Por último decidi ofrecer aos presentes um testemunho pictórico

a cada uma das almas que lá estiveram comigo. Pequenas frases ou interrogações colocariam de novo o

visitante a questionar-se.

"Palavras Caídas"
Óleo sobre Tela, 81X60, 2006

Em 2006 a minha ida a Nápoles mudaria o caminho da minha pintura de novo. A Ambiência do Vesúvio instalar-se-ía nela até às entranhas. A mesma procura do passado surgira aqui em força. A magia das paredes, da antiguidade das coisas, da essência, e inclusive do despojamento do material ganha aqui expressão. É nessa ambiência que descobri a paixão pela antiga cidade de Pompeia e sobre a qual tenho investigado desde então.
Redescubri uma civilização , mas sobretudo encontrei um percepcionar "quase que sensorial" que me tem permitido viajar no tempo.
Essa viagem daria título à exposição que realizei em Belém sob o título "Palavras Caídas", palavras que nunca são ditas por cobardia, temor, pudor, insensatez ou falta de oportunidade. Palavras que sentimos na alma que apenas a nós pertencem. E a mais ninguém.