sábado, 7 de abril de 1990

 

Sempre escrevi ou pintei sobre sentimentos.
Nesta série de trabalhos realço o 3º e úlltimo. Agora que olho para trás no tempo, vejo que eram trabalhos muito fortes, muito pesados. Talvez precisamente por isso, no dia que os expus por 1ª vez o célebre Artur Bual me tenha dito pessoalmente sobre eles : "Você tem Garra!" Nunca me esqueci dessas palavras.
Também não me esqueço dar dôr que foi terminar este trabalho de que vos falo. O meu melhor amigo de sempre tinha acabado de morrer, e lembro-me perfeitamente de o acaba, no meu quarto, a chorar. As lágrimas escorriam-me pela cara mas tinha que acabá-lo porque lhe era dedicado.
A dor da perda é sempre para os familiares, e apenas para eles porque são os mais próximos, mas ninguém saber a dôr que me tem acompanhado em todos estes anos, que já são 21.
Todos os fins de semana estava com ele, todos os fins de semana me telefonava para eu sair com ele, ou apenas para saber como estava. Nunca mais ninguém fez isso comigo. O Pedro era único. Tinha um sorriso lindo, era alegre e sensível e  pensava sempre em mim. Naõ existiam telemóveis nem mail's mas presente estava sempre.